Photographs

  • Atalaia

    Atalaia

  • Atalaia - Ribeira de Alferreira

    Atalaia - Ribeira de Alferreira

  • Belver - Anta do Penedo Gordo

    Belver - Anta do Penedo Gordo

  • Belver - Anta do Penedo Gordo

    Belver - Anta do Penedo Gordo

  • Belver - Anta do Penedo Gordo

    Belver - Anta do Penedo Gordo

  • Belver - Castelo

    Belver - Castelo

  • Belver - Castelo

    Belver - Castelo

  • Belver - Castelo

    Belver - Castelo

  • Belver - Castelo

    Belver - Castelo

  • Belver - Miradouro do Outeirinho

    Belver - Miradouro do Outeirinho

  • Belver - Ponte sobre o Rio Tejo

    Belver - Ponte sobre o Rio Tejo

  • Comenda - Capela Nossa Senhora das Necessidades

    Comenda - Capela Nossa Senhora das Necessidades

  • Comenda - Parque de Merendas

    Comenda - Parque de Merendas

  • Comenda - Parque de Merendas

    Comenda - Parque de Merendas

  • Gavião - Alamal

    Gavião - Alamal

  • Gavião - Alamal (foto de Luiz Alexandre)

    Gavião - Alamal (foto de Luiz Alexandre)

  • Gavião - Largo do Município

    Gavião - Largo do Município

  • Gavião - Pelourinho

    Gavião - Pelourinho

  • Margem - Busto Mouzinho da Silveira

    Margem - Busto Mouzinho da Silveira

  • Margem - Monte dos Pereiros - Fonte

    Margem - Monte dos Pereiros - Fonte

  • Atalaia - Fonte de Santo António

    Atalaia - Fonte de Santo António

  • Atalaia - Ribeira de Alferreira

    Atalaia - Ribeira de Alferreira

  • Atalaia - Ribeira das Barrocas

    Atalaia - Ribeira das Barrocas

  • Belver - Ribeira de Belver

    Belver - Ribeira de Belver

  • Belver - Ribeira de Canas

    Belver - Ribeira de Canas

  • Belver - Ribeira de Eiras

    Belver - Ribeira de Eiras

  • Comenda - Cegonhas

    Comenda - Cegonhas

  • Comenda - Vale de Grou - Fonte

    Comenda - Vale de Grou - Fonte

  • Comenda - Ribeira do Sor

    Comenda - Ribeira do Sor

  • Comenda - Ribeira do Sor

    Comenda - Ribeira do Sor

  • Comenda - Ribeira do Sor

    Comenda - Ribeira do Sor

  • Gavião - Alamal

    Gavião - Alamal

  • Gavião - Alamal - Passadiço

    Gavião - Alamal - Passadiço

  • Gavião - Coreto

    Gavião - Coreto

  • Gaviao - Largo do Municipio

    Gaviao - Largo do Municipio

  • Gavião - Ribeira da Represa

    Gavião - Ribeira da Represa

  • Gavião - Rio Tejo

    Gavião - Rio Tejo

  • Gavião - Termas da Fadagosa

    Gavião - Termas da Fadagosa

  • Margem - Rebanho de ovelhas

    Margem - Rebanho de ovelhas

  • Margem - Ribeira do Sor

    Margem - Ribeira do Sor

  • Margem - Vale da Madeira - Fonte

    Margem - Vale da Madeira - Fonte

  • Margem - Vale de Bordalo

    Margem - Vale de Bordalo

  • Gaviao - Largo do Municipio

    Gaviao - Largo do Municipio

  • Atalaia - Fonte de Santo António

    Atalaia - Fonte de Santo António

  • Atalaia - Moinho Ribeira das Barrocas

    Atalaia - Moinho Ribeira das Barrocas

  • Atalaia - Queda de água no açúde do moinho na Ribeira Alferreira

    Atalaia - Queda de água no açúde do moinho na Ribeira Alferreira

  • Atalaia - Ribeira da Alferreira

    Atalaia - Ribeira da Alferreira

  • Belver - Avi-fauna - paisagem do Rio Tejo

    Belver - Avi-fauna - paisagem do Rio Tejo

  • Belver - Barragem de Belver - Vista do Cabeço do Pintalgaio

    Belver - Barragem de Belver - Vista do Cabeço do Pintalgaio

  • Belver - Ribeira da Areia

    Belver - Ribeira da Areia

  • Belver - Ribeira de Belver

    Belver - Ribeira de Belver

  • Belver - Ribeira de Canas

    Belver - Ribeira de Canas

  • Comenda - Paisagens

    Comenda - Paisagens

  • Comenda - Paisagens

    Comenda - Paisagens

  • Comenda - Ribeira do Sor

    Comenda - Ribeira do Sor

  • Gavião - Largo do Município

    Gavião - Largo do Município

  • Gavião - Passadico do Alamal

    Gavião - Passadico do Alamal

  • Fotos do Concelho - Diversas 201401

    Fotos do Concelho - Diversas 201401

  • Fotos do Concelho - Diversas 201401

    Fotos do Concelho - Diversas 201401

  • Gavião - Praia Fluvial do Alamal

    Gavião - Praia Fluvial do Alamal

  • Gavião - Praia Fluvial do Alamal

    Gavião - Praia Fluvial do Alamal

  • Gavião - Ribeira do Malufe

    Gavião - Ribeira do Malufe

  • Margem - Fonte Velha em Vale de Bordalo

    Margem - Fonte Velha em Vale de Bordalo

  • Margem - Ribeira do Sor

    Margem - Ribeira do Sor

  • Rio Tejo

    Rio Tejo

contact 1
 
Apoio ao Munícipe  
241 639 070
 
Sugestões Para: 
This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.
 

Francisco Ventura

Francisco Ventura foto"FRANCISCO Manuel VENTURA nasceu em Gavião em 16 de Fevereiro de 1910. Filho de Francisco Manuel Ventura e de Virgínia Costa Ventura, pequenos comerciantes, fez a Instrução Primária ao mesmo tempo que ajudava o pai no estabelecimento comercial.
Desde muito novo se apaixonou pelas letras e para isso muito contribuíram as "bibliotecas" de conterrâneos, bem como a do Seminário local. Os clássicos escritores do Século XIX eram os seus preferidos. Aos 13 anos escreveu a sua primeira peça teatral, sem nunca ter visto qualquer representação. Aos 17 anos "apareceu-lhe" a poesia, mas sempre às escondidas e com medo das risadas trocistas de amigos e companheiros.
Em 1933, então com 23 anos, veio para Lisboa, com o sonho na bagagem, estudar à noite e trabalhar. Conseguiu, trabalhando ao balcão, tirar o Curso Complementar do Comércio no Ateneu Comercial de Lisboa. Passou para trabalho de escritório em várias empresas privadas e depois para a Junta Nacional do Vinho no Cadaval, onde permaneceu 7 "longos" anos. Em 1946 foi admitido na Caixa de Previdência dos Profissionais do Comércio donde viria a reformar-se.
A entrada no mundo das letras foi tormentosa, à sua volta só encontrava obstáculos de toda a ordem: não tinha recomendações, curso superior, fortuna, ou frequência social que lhe pudessem abrir portas. A sua grande timidez, agravada por uma educação severa, e o seu pequeno porte físico levaram-no à destruição de tudo quanto, até aí, escrevera, jurando nunca mais o fazer.
Não cumpriu o juramento! Acicatado por alguns amigos, concorreu ao Primeiros Jogos Florais da Emissora Nacional e foi contemplado com uma Menção Honrosa, em Soneto, em 1936.
Viu, dessa maneira, a possibilidade de aparecer e concorreu a inúmeros Concursos Literários e Jogos Florais (Ateneu Comercial de Lisboa, Casa do Alentejo, Cidade de Évora, Cidade da Figueira da Foz, Mocidade Portuguesa, etc.) e obteve imensos prémios que alimentaram a sua actividade teatral. Colaborou em diversos jornais nacionais, e regionais: "O Século", "Diário Popular", "Voz do Mar", entre outros, e revistas, "Sulco", "Panorama", "Mensário das Casas do Povo", etc.
No entanto, o seu expoente literário foi o género literário dramático: FILHO SOZINHO, CASA DE PAIS, AUTO DA JUSTIÇA, HORA DE TODOS, MÚSICA FÁCIL, etc. são algumas das peças teatrais mais conhecidas. Nalgumas nota-se a presença de usos e costumes, nomes e expressões usuais em Gavião, sabendo no entanto evitar o regionalismo fácil, tendo a coragem e o talento de elevar o interesse humano e o pitoresco folclórico.
As suas peças foram representadas por todo o País, e nos grandes palcos como o Teatro Nacional D. Maria II ou o Teatro da Trindade, aos grupos amadores, a sua obra tem sido amplamente divulgada. A RTP não ficou indiferente ao sucesso de CASA DE PAIS e transmitiu-a variadas vezes, sendo, ainda hoje, a peça com maior número de transmissões a pedido do público (...). Em 23 de Novembro de 1979 (Feriado Municipal) o seu nome foi atribuído a uma rua em Gavião.
Faleceu em 26 de Agosto de 1994, vítima de doença prolongada, deixando obra de vulto no domínio da poesia, do ensaio, do teatro (inclusive infantil) bastante dele inédito, pois nunca possuiu editor (...)."

Transcrição de um texto de João Florindo publicado na brochura dedicada à Reinauguração do Cine-Teatro Francisco Ventura, em Gavião, no ano de 1997

FaLang translation system by Faboba
© 2012 Município do Gavião All Rights Reserved
ブランドコピー スーパーコピーブランド コピーブランド ブランドバッグコピー ブランドコピー時計 ブランドコピー財布